Informação minuto a minuto

Loading...

domingo, 7 de agosto de 2016

OS 10 MELHORES E PIORES ALIMENTOS PARA PSORÍASE

A psoríase é uma doença de caráter inflamatório que acomete a pele e pode se manifestar de diferentes formas e intensidades, em diferentes faixas etárias. Há presença de processos inflamatórios no local da lesão, potencializando a vermelhidão, a coceira e o aspecto de ferida.
Mudanças na dieta podem ser muito indicadas para as pessoas com psoríase, podendo inclusive auxiliar na melhora dos sintomas. Veja os principais alimentos que devem ou não fazer parte do cardápio dos pacientes com essa doença:
–  Peixes: salmão, sardinha, atum e cavala são excelentes fontes de ômega-3, um ácido graxo que ajuda a reduzir a inflamação e melhora a ação do sistema imunológico, que é hiperativo em pessoas com psoríase. Além disso, a doença também está ligada ao maior risco de ataque cardíaco e acidente vascular cerebral, reforçando a importância do consumo desse tipo de alimento ao menos duas vezes por semana.
–  Cenoura e abóbora: fontes de carotenoides, que são importantes para a secreção e proliferação de linfócitos (células de defesa), aumentando a imunidade.
Dica da nutricionista: a carne, especialmente a vermelha, quando evitada, tende a melhorar o quadro da doença. Parece que a grande quantidade de gordura saturada presente no alimento costuma piorar o processo inflamatório.
–  Grãos integrais: o consumo de fibras deve ser avaliado e caso se identifique quantidade insuficiente é necessário aumentar a ingestão para ajudar no controle dos lipídeos sanguíneos. Além de oferecerem fibras, contêm compostos bioativos e vitaminas com propriedades antioxidantes, importantes para o controle do estresse oxidativo presente na psoríase.
–  Abacate e oleaginosas: ricos em “gorduras do bem”, como as mono e poli-insaturadas, possuem efeito anti-inflamatório e antioxidante. Além disso, auxiliam no controle das taxas de colesterol sanguíneo, prevenindo as doenças cardiovasculares.
Dica da nutricionista: alguns trabalhos têm indicado que pacientes com psoríase apresentam anticorpos contra a fração da proteína presente principalmente no trigo, na cevada e no centeio: o glúten. Para essas pessoas, uma dieta livre de glúten pode resultar em melhora clínica significativa. 
–  Berries (blueberry, goji berry, cranberry): além da propriedade anti-inflamatória e antioxidante, possuem grande quantidade de vitamina C (imunidade) e de fibras (controle dos lipídeos sanguíneos).
Dica da nutricionista: açúcar processado é um vilão para a saúde em geral e, possivelmente, para a psoríase. O consumo excessivo de açúcar não só pode promover a inflamação mas também é um dos principais contribuintes para o ganho de peso e, como sabemos, o excesso de peso pode agravar a doença. Evite a adição de açúcar nas preparações e verifique cuidadosamente os rótulos dos alimentos industrializados.
–  Gema de ovo, óleo de fígado de bacalhau: fontes de vitamina D, que modulam a inflamação cutânea. A exposição solar também melhora as lesões de pele provavelmente por promover a síntese de vitamina D3, a partir de seu precursor presente na pele. Banhos de sol nos horários recomendados devem fazer parte do dia a dia desses pacientes sempre que possível. Porém, como a vida moderna dificulta esse hábito, deve-se considerar a necessidade e a possibilidade de suplementação.
Dica da nutricionista: merece atenção o consumo de bebidas alcoólicas, que devem ser evitadas, principalmente nos períodos de exacerbação, uma vez que o uso de medicações é intensificado e a maioria delas pode ter impacto hepatotóxico.
Fonte: Mundo Verde


domingo, 24 de julho de 2016

A Dermatologia e o espírito - (Psoríase, Vitiligo)

Jane Maria Modena Bassi
Através da Dermatologia, estudamos as manifestações cutâneas. A pele é o maior órgão do nosso organismo físico e, por estar completamente ligada ao Sistema Nervoso Central (SNC), nela se encontram muitos receptores de sensibilidade e sensações, além de terminações nervosas. Aliás, essa ligação existe desde a formação embrionária. Parte da pele, como a epiderme, vem do mesmo folheto embrionário que o SNC.

Nosso organismo funciona num sistema de rede, todo interligado, e a pele é um dos órgãos desse sistema. Ela envolve todo o nosso organismo físico, contendo-o, e, através dela, nos colocamos em contato com o mundo, com as pessoas. Portanto, é um órgão de exteriorização das nossas emoções. É também um caminho de drenagem de muitas emoções, através de substâncias, os neuropeptídeos, e tantas outras, as moléculas das emoções, que vão do cérebro até as nossas células da pele.

Expressamos nossas emoções através da pele. Ou seja, existe uma ligação direta com nossa alma, que se expressa através dela.

Estudos de terapias a vivências passadas vêm demonstrando que existem correlações entre algumas doenças de pele, hoje, com situações de traumas emocionais com lesões cutâneas graves e as outras vivências anteriores nesta ou em outras vidas.
A verdade é que, através de pequenas lesões dermatológicas, os pacientes trazem grandes dramas existenciais a serem revelados.


Algumas vezes, aquela lesão pequena, aparentemente sem importância, traz uma grande oportunidade de conhecermos mais sobre aquela alma necessitada de esclarecimentos e cura verdadeira.

O que eu tenho vivenciado com diversos pacientes é que em algumas doenças, como vitiligo e psoríase, por exemplo, existe uma vivência de “perdas importantes”, como de entes queridos, separações dos pais, medo muito grande de perda da própria vida (acidentes graves) e perda emocional do cônjuge (por exemplo, uma traição). Elas podem desencadear as doenças.

Se o médico estiver atento e procurar prestar atenção, lembrar que ali está um ser espiritual cheio de vivências, poderá aproveitar para sentir melhor a verdadeira “queixa principal” e esclarecê-lo sobre a imortalidade da alma.

Da minha vivência em consultório, levei à edição deste ano do Mednesp dois casos de mães que perderam seus filhos e estavam vendo aparições deles próprios. Uma delas, uma senhora de mais ou menos 50 anos, me procurou porque queria tratar de “manchas nas mãos”, mas acabou me contando que havia perdido seus dois únicos filhos, vinha sofrendo imensamente e estava bastante aflita, a ponto de duvidar da sua sanidade mental – ela os via com frequência e achava que estavam precisando de algo. Ao esclarecê-la sobre nossa imortalidade e explicar a reencarnação, ela ficou muito aliviada e me deu um abraço inesquecível. Muito agradecida, pediu-me que continuasse a esclarecer os pacientes daquela maneira.

A outra, jovem mãe, tinha uma lesão pequena nas mãos, uma disidrose simples. Ao perguntar se estava passando por algum estresse que justificasse a lesão, contou-me que havia perdido um filho de dois anos, em um acidente, mas tinha outra criança, precisava estar bem e cuidar dela, enquanto, muitas vezes, queria chorar de saudade e tristeza. Ela estava ainda “chorando pelas mãos”. Mas tinha certeza que seu filho vivia: já o havia visto entrar em seu quarto, brincando alegre, e escutado ele dizer que onde estava não tinha mais perigo, respondendo a um pedido seu para que tomasse cuidado.

Acredito que ora ajudamos, ora somos ajudados. Nessas vivências, agradeço a Deus por encaminhar esses pacientes até mim. A necessidade de esclarecimentos é grande e a verdade é libertadora.

Dessa forma, contribuímos com a Medicina da alma.

Tenho visto que alguns pacientes, ao tomarem consciência do trauma, ao perceberem o que desencadeou a doença, resolvem curar-se, tomam uma decisão importante e com conteúdo de resolução firme e determinado: autocura, ou a cura quântica, como nos ensina o físico Amit Goswami em seu livro O Médico Quântico.

Esse é o melhor. Fico feliz também em ver que pesquisadores vêm chegando a essa verdade que a Doutrina Espírita nos ensina e que Jesus tanto nos demonstrou através da Medicina da alma, curando os doentes e dizendo: A tua fé te curou.

Jane Maria Modena Bassi é dermatologista pela Unesp de Botucatu (SP), com especialização em Psicologia Regressiva Transpessoal, e presidente da Associação Médico-Espírita de Sorocaba (SP)

sábado, 23 de julho de 2016

Compulsão alimentar

1-O que é compulsão alimentar?
Psicólogo : Até a década de 50 ignoravam-se possíveis diferenças comportamentais nos obesos. A partir de então, foi observado que alguns deles tinham mais depressão, transtorno de personalidade e transtornos de humor do que outros; como também a gravidade e inicio da obesidade variavam de caso para caso. Deste modo, começou a ser investigado, o que depois foi denominado de Transtorno da Compulsão Alimentar Periódica (TCAP).
Trata-se de uma síndrome caracterizada por uma grande ingestão de alimento em tempo delimitado (período de 2 horas), acompanhado por perda de controle sobre o que ou o quanto se come. Para caracterizar o diagnóstico, tais episódios devem ocorrer pelo menos duas vezes por semana em um período de seis meses, sem comportamento de compensação para evitar ganho de peso (vomitar ou expelir o que se ingeriu).
A compulsão é resultado de um conflito psíquico e de uma luta subjetiva entre duas funções opostas, estando o sujeito impossibilitado de escolher. Age a partir do sofrimento e sua irrefreável repetição. Basicamente, por se tratar de um comportamento compulsivo, os pensamentos ou atos que o sujeito realiza lhe parecem um corpo estranho de uma força incontrolável. São pensamentos ou atos contra qual, normalmente, o sujeito gostaria de lutar.
Podemos afirmar que o que caracteriza a compulsão alimentar não é a gula, mas a relação do sujeito com o que come e com suas emoções.


2-O que provoca a compulsão alimentar?

Psicólogo : Para cada pessoa o problema surge de uma forma. Mas podemos apontar problemáticas relacionadas à auto-imagem, auto-estima. E também, como foi dito, a origem pode ser relacionada a questões emocionais/afetivas.
Também - fator agravante - podem ocorrer tentativas frustradas de controlar o peso. E com a insatisfação e a falta de controle sobre o próprio corpo, ocorre movimento inverso: a pessoa passa ao uso indiscriminado de alimentos, como forma de resolver estes problemas emocionais.


3-O que sente a pessoa que come compulsivamente?

Psicólogo : Indivíduos com Transtorno de Compulsão Alimentar Periódica apresentam maior comorbidade com outros sintomas em diagnóstico psiquiátricos, como por exemplo, transtornos de humor ou ansiedade:
-Sofrimento psicológico devido à depreciação da auto-imagem;
-Mal estar físico devido à grande quantidade de alimentos ingeridos;
-Vergonha por comer tanto e então, o indivíduo se isola;
-Depressão;
-Nojo de si próprio; e
-Culpa (o comedor compulsivo, por culpa, pode compensar com jejum de 2 dias e depois voltar ao ciclo de ingestão).
Os comedores compulsivos comem até o estômago doer e a ingestão desenfreada pode ser uma tentativa de preenchimento, e conseqüentemente diminuição, da sensação de angústia vivida internamente.


4-Pergunta estatística: A compulsão alimentar atinge mais homens ou mulheres? E é mais recorrente em qual faixa etária: crianças, adolescentes ou adultos (onde se enquadra expressivamente)?

Psicólogo : O Transtorno de Compulsão Alimentar Periódica é freqüentemente associada à obesidade, por não haver formas de compensação de peso, diferentemente da bulimia ou anorexia. Dado curioso é que, estatisticamente, é ainda mais freqüente que a bulimia ou a anorexia.
A compulsão alimentar atinge de 1 a 4% da população geral e, é mais freqüente em adolescentes e mulheres jovens. No grupo de obesos, atinge por volta de 33 a 50% desta população e também é mais freqüente em adolescentes e mulheres jovens.
Há uma explicação para isto: na adolescência, época de transformação afetiva, social e corporal, a aparência física adquire importância na construção da identidade pessoal.


5-Será que eu tenho compulsão alimentar? (existe algum método, ou perguntas especificas que possam me dar um parâmetro para que eu identifique se eu sou um compulsivo?)

Psicólogo : Tente responder, criticamente, tais perguntas:
1- Ingiro grande quantidade de alimento, e não tenho controle sobre minha fome, sobre o que eu como?2- Isso tem ocorrido pelo menos duas vezes por semana nos últimos seis meses?3- Como sem sentir fome? Como rápido demais? Como até me sentir estufado? Como sozinho por vergonha da quantidade que como?4- Sinto culpa após comer? Tenho sentimentos de angústia antes e após comer?


Outros fatores importantes para um possível diagnóstico:

1- Não estar associado à purgação, jejum, exercícios físicos, como forma de compensar a quantidade excessiva de alimentos ingeridos.2- Não ocorrer na presença de bulimia nem anorexia.


6- Em que momento eu realmente preciso pedir ajuda para um profissional? Como deve ser tratada a compulsão alimentar?

Psicólogo : A partir do momento em que sente que há algo errado, em que a comida não é apenas um meio de se alimentar e sentir prazer, mas ao contrário, é algo do qual você se torna dependente e se sente angustiado, precisa comer para ‘curar momentaneamente’ essa angustia.
O tratamento sugerido é um tratamento multidisciplinar: com psicólogos, psiquiatras, médicos, nutricionistas e educador físico, cada qual cumprindo uma importante função no entendimento e tratamento de cura da compulsão alimentar.


7-De que forma se dá a atuação da família e de amigos, para auxiliar esse tratamento?

Psicólogo : É importantíssimo que haja diálogo e compreensão por parte da família e pessoas próximas, e que encarem a compulsão como uma impossibilidade, como uma doença e não como mera perda de controle, má vontade e preguiça em mudar.
Observe que muitas vezes os familiares acham que parar de comer é uma escolha simples, mas não sabem o sofrimento que há por trás, a angústia que vive quem sofre com compulsão alimentar.
Uma sugestão interessante é que as pessoas próximas também tentem mudar seus hábitos alimentares para incentivar o paciente.


8-Quais dicas você pode dar para os nossos telespectadores?

Psicólogo : -Procurar psicólogos  para auxiliá-los.
-Tentar se alimentar em intervalos regulares e quando sentir vontade de comer, buscar outras atividades prazerosas;
-Praticar exercícios respiratórios e físicos;


9- Por que uma pessoa não consegue manter uma dieta?

Psicólogo : As interrupções nas dietas podem ocorrer por inúmeros fatores, tais como: falta de comprometimento, busca por resultados imediatos e como muitas vezes se trata de um tratamento prolongado a pessoa desiste, dificuldade no processo de emagrecimento ou até mesmo interferência na saúde de quem faz dieta.

10- Por que tem-se a ideia de que os alimentos saudáveis, propícios para as dietas, são ruins? Há alguma ligação entre a ideia de que o que é proibido é mais gostoso e isso de certa forma faz com que as pessoas prefiram os alimentos menos saudáveis?

Psicólogo : Será que as pessoas tem essa ideia? Talvez por não abrirem mão das conhecidas junk food seja por uma questão de tempo ou de hábito. E creio que para esse caso a ideia do que é proibido é mais gostoso não se aplica. A pessoa deve ter em mente a necessidade de uma reeducação alimentar, pratica de esportes e acompanhamento profissional.

11-Qual sentimento gera no indivíduo que não consegue manter a dieta?

Psicólogo : Frustração por ter abandonado o processo de emagrecimento.

Entrevista cedida pelo psicólogo Victor Dalla Nora Araujo CRP 06/104201 para a Rit TV




Caspa não é psoríase; entenda a diferença

Responda rápido: o que faz a cabeça coçar e ainda causa uma descamação chatinha? Se você falou caspa, pense mais uma vez. Isso porque a psoríase é outra doença que também causa os mesmos problemas e, pasmem, pode ter até o mesmo tratamento!
O engano, acredite, é comum. Quer saber mais? A gente explica um pouco mais sobre as diferenças entre os dois quadros.
Nem tudo que descama é caspa
A dermatite seborreica, já sabemos, é a doença que causa 
descamação no couro cabeludo por conta do excesso de oleosidade da pele – e os floquinhos brancos que caem para nossos ombros e roupas são chamados de caspa. Por outro lado, a psoríase é uma doença – que não é contagiosa! – em que as células de defesa do corpo atacam a pele. O tecido, por sua vez, passa a produzir mais células sem dar tempo de eliminar as mais velhas. Resultado: formação de crostas e o aspecto de escama, comum em quem sofre com a doença.

No detalhe
Como os dois problemas causam descamação, quando a psoríase atinge o couro cabeludo, é comum existir uma confusão de diagnóstico. A diferença, embora sutil, existe: enquanto a caspa apresenta uma descamação solta e seca, a psoríase tem a formação de placas avermelhadas elevadas e bem aderidas ao couro cabeludo. E tem mais: a dermatite seborreica coça mais!
Acertando no tratamento
Quem sofre de caspa sabe que um dos principais tratamentos é o uso de shampoos específicos para combater a oleosidade e os fungos que podem se instalar na região. No caso da psoríase, acredite, o shampoo receitado pode ser o mesmo! Contudo, não para por aí: o paciente precisa também usar medicamentos em forma de gel ou solução para aliviar a inflamação, além de evitar remover as casquinhas – elas irão voltar, em um ciclo vicioso.
Fontes: Vanessa Metz, especialista em dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia
Fonte: mantecorpskincare.com.br

quinta-feira, 21 de julho de 2016

DICAS DE ALIMENTAÇÃO PARA AJUDAR A EVITAR CRISES DE ‎PSORÍASE‬

Peixe é benéfico para pessoas com psoríase. Entretanto, certos tipos como mariscos devem ser evitados, uma vez que são ricos em gorduras saturadas e, portanto, prejudiciais. Todos os outros, especialmente os peixes ricos em ácidos graxos ômega-3, podem ajudar a reduzir os sintomas da psoríase consideravelmente. Boas fontes de ômega-3 são sardinha e salmão. Truta e cavala também são boas para você. Para aqueles que não comem produtos de origem animal, tanto sementes de linhaça quanto gergelim podem ser consumidos como boas alternativas. Sementes de girassol, apesar de ter menor quantidade de ômega-3, ainda fornecem o suficiente para justificar a sua ingestão.
Prevenção e solução

Tão importante quanto saber quais alimentos você come, você também deve evitar certos alimentos para controlar os sintomas e melhorar a sua qualidade de vida. As gorduras animais são especialmente danosas para as pessoas com psoríase. Carnes vermelhas, ovos e produtos lácteos devem ser especialmente evitados. Isso significa não apenas produtos lácteos simples em si, mas também itens como bolos, chocolates e sorvetes. As frutas cítricas também são conhecidas por desencadear a psoríase, por isso devem ser evitadas tanto quanto possível.
Avisos
Álcool, café, certos molhos (especialmente os picantes), suco de tomate e óleo de canola ou óleo vegetal podem desencadear episódios de psoríase em certas pessoas, por isso é importante prestar atenção depois de consumir estes alimentos para ver o efeito que eles causam ao corpo. Especiarias também podem ser prejudiciais para o organismo, principalmente as quentes, ou as baseadas em nozes ou frutas cítricas. Exemplos incluem a pimenta, o molho de pimenta, molhos, vinagre, cominho, mostarda e curry.

sábado, 16 de julho de 2016

Frio agrava doenças de pele

As baixas temperaturas do inverno costumam desencadear uma série de doenças, inclusive dermatológicas. Psoríase e casos de dermatite seborréica são algumas das mais comuns nessa época do ano atendidas no INDERM - Instituto de Dermatologia do Hospital Ecoville. "A falta de sol e o ressecamento extremo da pele devido ao frio, água muito quente e lã em contato direto com a pele geram prurido e coceira. Isso cria microferimentos com risco de infecção", explica o dermatologista do Hospital Ecoville, Dr. Lincoln Fabrício.
A psoríase é uma doença inflamatória da pele de causa genética. Surgem placas avermelhadas em regiões do corpo como cotovelos, palma das mãos, joelhos e couro cabeludo. Além do incômodo e da coceira, a psoríase pode ocasionar também problemas articulares, a chamada artrite psoriásica. "O diagnóstico é clínico e fazemos o tratamento junto com um reumatologista", esclarece Dr. Lincoln. "No INDERM, um dos tratamentos mais utilizados para tratar a psoríase é o Excimer Laser, pioneiro no Paraná. O uso do laser de duas a três vezes por semana dispensa o uso de medicamentos e tem uma grande eficácia", explica o chefe do serviço, Dr. Roberto Tarlé.

A pele - esclarece Dr. Roberto - é um órgão como qualquer outro e deve ser tratado por uma questão de saúde, e não apenas por causa da parte estética. "Muitas outras doenças podem ser diagnosticadas pelos sintomas que ela apresenta". Por exemplo: a queda de cabelo, que pode indicar uma anemia, e unhas frágeis podem ter relação com hipotireoidismo. Os especialistas enfatizam que o diagnóstico precoce é a melhor maneira para tratar e impedir a complicação das patologias.
Para evitar o aparecimento de doenças de pele ou a complicação de problemas já existentes, alguns cuidados devem ser tomados quando as temperaturas estão baixas:
a.. mesmo durante o inverno é indicado o uso de protetor solar, dando preferência aos que contêm hidratante na fórmula e aplique três ou mais vezes ao dia, principalmente no rosto e nas mãos;
b.. evitar os banhos muito quentes e longos, pois eles ressecam a pele e colaboram para o aparecimento de alergias;
c.. após o banho deve-se secar muito bem, dando preferência a uma toalha macia;
d.. deve-se sempre manter a pele hidratada; 
e.. evitar o uso de roupa de lã diretamente na pele, pois pode dar alergia;
f.. pacientes com doenças de pele agravadas pelo frio, como a psoríase, devem controlar a exposição às baixas temperaturas.

Fonte: parana-online.com.br

sexta-feira, 15 de julho de 2016

10 verdades sobre psoríase

A psoríase não tem cura, mas tem tratamento. Família, amigos e pacientes devem buscar saber mais sobre a doença para ajudar no combate durante as crises. Listamos abaixo dez fatos relevantes que todos devem saber sobre a doença.

 1. Psoríase é comum a todos
A psoríase afeta igualmente homens e mulheres, de todas as idades, gêneros e etnias.

2. Psoríase não é contagiosa
Não se sabe ainda o que provoca a psoríase. As causas estão relacionadas a questões genéticas, imunológicas, ambientais e psicológicas. Mas uma certeza você pode ter: a psoríase não é contagiosa. Ninguém pega psoríase pelo toque, ao compartilhar roupas ou objetos ou dormir na mesma cama. É importante que pacientes, familiares e amigos saibam disso. Ajuda a combater o preconceito.

3. Paciente enfrentam preconceito
Algumas vezes, os portadores de psoríase são vítimas de comentários preconceituosos, e podem ser isolados dos grupos. Disseminar informação sobre a doença é a melhor maneira de combater o preconceito. Combata os mitos e divulgue os fatos.

4. Apoio é fundamental
Portadores da doença precisam de apoio de familiares, amigos e colegas de trabalho para que se sintam bem e mantenham seu convívio social.
5. Sintomas podem persistir
Existem muitos tratamentos para a psoríase, mas, mesmo assim, há pacientes que sofrem com sintomas, como a coceira, por exemplo, que não desaparecem. Isso é comum, não acontece só com você. Neste caso, o melhor é procurar o médico e discutir com ele novas possibilidades. Lembre-se de que a psoríase tem ciclos: piora e melhora com eles.

6. Outras doenças podem surgir
Casos graves de psoríase podem estar associados a outras condições como hipertensão, depressão, síndrome metabólica, para citar algumas. O médico deve ser informado do histórico familiar e de manifestações anteriores de outras doenças.
7. Psoríase não afeta só a pele
Embora grande parte dos tipos de psoríase ataque a pele, a doença pode afetar as articulações.
8. Relaxe! Estresse pode agravar a doença.
Crises de psoríase e estresse andam de mãos dadas. Uma das atitudes mais importantes para prevenir novos episódios da doença é criar maneiras de lidar com o estresse. Não há uma receita pronta, cada um encontra seu modo. Exercícios físicos, meditação, momentos dedicados à leitura, um hobby. Tudo pode ser usado como arma para evitar esse mal.

9. Dieta correta ameniza inflamação
Alguns alimentos ajudam a prevenir e aliviar picos inflamatórios. Se você tem psoríase, vale a pena investir neles em sua dieta:
§  peixes de água fria, como atum, salmão, sardinha, bacalhau, entre outros, que podem diversificar sua dieta. Eles são ricos em ômega 3.
§  azeite, sementes e nozes também são recomendados por serem ricos nessa substância.
§  frutas de cores diferentes, verduras e legumes. Quanto mais colorido de vegetais o seu prato, melhor. Cenouras, couve, batata doce, abóbora, brócolis, mangas, figos e morango são alguns exemplos. O morango é rico em ácido fólico, outra substância que ajuda a controlar a inflamação.

10. Viva o sol, um grande aliado
É certo que os pacientes de psoríase sentem-se envergonhados de expor as manchas na pele, mas o sol é importante para o tratamento. Dedique algum tempo para ficar ao ar livre. O sol ajuda a manter a pele mais saudável.

Fonte: www.psoriasetemtratamento.com.br



domingo, 26 de junho de 2016

DORES DE CABEÇA


Dica de Auriculoterapia (Acupressão)...
Para dar uma aliviada nas ‪#‎dores‬ de cabeça, pressione os pontos das fotos. Na foto 01, procure o ponto mais dolorido e pressione. Na foto 2, pressionar e fazer movimento no sentido horário.
Foto 1
Foto 2

quinta-feira, 23 de junho de 2016

PSORÍASE

Postando novamente, para ajudar quem tem Psoríase. É excelente para eliminar coceiras e ajuda a renovar a pele.
Os poderes do sal grosso
Benefícios estéticos:
Tira as impurezas da pele
Alivia irritações da pele como ‪#‎psoríase‬” /eczema.
Alivia ‪#‎comichão‬, ardor e picadas.
Suaviza e amacia a pele e incentiva a ‪#‎pele‬ a se ‪#‎renovar‬.
Ajuda a curar as cicatrizes.
Restaura o equilíbrio e a umidade da pele.
O sal grosso é considerado um potente purificador de ambientes.
Povos distintos usam o sal para combater o mau-olhado, e deixar a casa a salvo de energias nefastas.
O sal é um cristal e por isso emite ondas eletromagnéticas que podem ser medidas pelos radiestesistas.
Ele tem o mesmo comprimento de onda da cor violeta, capaz de neutralizar os campos eletromagnéticos negativos
Visto ao microscópio o sal bruto revela que é um cristal, formado por pequenos quadrados ou cubos achatados.
É barato, fácil de encontrar, e pode lhe ajudar em momentos de dificuldade e de esgotamento energético!

Modo de tomar o banho de sal grosso
Após seu banho convencional, deixe um punhado de sal grosso escorrer do pescoço para baixo, embaixo da água da ducha.
Para quem mora longe da praia é um ótimo jeito de relaxar e renovar as energias.

Tomar banho de água salgada com bicarbonato de sódio descarrega as energias ruins e é relaxante.
Benefícios de banhos com sal grosso.

Fisiológicos:
Ajuda a desintoxicar o corpo e afastar os vírus.
Estimula a circulação natural para a melhoria da saúde
Ajuda a aliviar o pé do atleta, calos e calosidades.
Relaxa a tensão, dores musculares e nas articulações.
Ajuda a aliviar artrite e reumatismo
Ajuda a aliviar a dor lombar crônica

Ocupacional:
Alivia o cansaço, os pés doloridos e os músculos da perna
Alivia a tensão nas mãos e punhos.
Ajuda a aliviar lesões ocorridas nas práticas esportivas.
Psicofísica:
Proporciona um relaxamento profundo
Ajuda a aliviar o estresse e tensão.

Fonte: Leveza de Ser e Corpoinconsciencia

domingo, 19 de junho de 2016

EMAGRECER COM ACUS-BRIN (Auriculopuntura SEM agulhas)


Antes e depois da jovem Ana Carolina Moraes, de 20 anos (Foto: Arquivo pessoal/Ana Carolina Moraes)

Jovem fica irreconhecível ao perder 40 quilos com uma 'ajuda' da China

Dieta chinesa e acupuntura ajudaram garota de Santos a mudar de vida.
Estudante também destaca a importância da academia nesse processo.


Rodrigo Martins
Fonte: G1.globo.com

Após várias tentativas frustradas de emagrecer com dietas radicais, uma estudante de Santos, no litoral de São Paulo, decidiu adotar medidas simples, mas saudáveis, e conseguiu perder mais de 40 quilos em apenas 2 meses e meio. Ana Carolina Moraes, de 20 anos, conviveu durante toda a adolescência com problemas de obesidade, mas, após adotar a cultura chinesa, por meio de uma alimentação natural e acupuntura para combater a ansiedade, emagreceu definitivamente e ficou "irreconhecível" até para os amigos.
Segundo Ana Carolina, o problema com a balança começou aos 12 anos. "Eu sempre fui muito magrinha. Aos 12 anos, porém, comecei a engordar demais. Foi algo que eu não conseguia controlar, e cheguei a pesar 93 kg. Eu era bem resolvida com a questão do peso, mas comecei a ficar preocupada. Me submeti a tratamentos mais radicais, que não serviam para nada, pois eu engordava e emagrecia. Não conseguia manter o peso. Depois disso, resolvi mudar meus hábitos", diz.

A jovem conta que, aos 17 anos, passou a fazer sessões de acupuntura, que, somadas a uma dieta especial, foram as responsáveis pelo resultado final.
"Fiz isso durante 10 semanas e cheguei a pesar 53 kg. A minha preocupação era mais pela questão da saúde, pois não lembro de ter sofrido bullying na escola. Por isso, fiz uma reeducação alimentar, baseada na medicina chinesa. Uma vez por semana, eu também fazia acupuntura", revela.
Para Ana Carolina, após a perda de peso, os exercícios físicos se tornaram fundamentais para manter a forma. "Eu não podia treinar, porque dava fome. Fiz academia durante um ano, junto com a dieta. A professora do balé implicava comigo por causa disso. Nessa época, eu fazia balé, que era algo que eu praticava desde pequena e fiz até os 18 anos. Depois que eu emagreci para valer, voltei a fazer academia e, desde então, não parei mais", destaca.

Na opinião da estudante, é muito difícil conciliar a dieta com a atividade física durante o processo de emagrecimento. "Quando você emagrece radicalmente e ainda não está acostumada com seu novo peso, também não está preparada para comer umas folhas de alface e se sentir satisfeita. A reeducação alimentar diz o seguinte: você não pode ser radical e fazer uma dieta com uma atividade física intensa se você não está acostumada", ressalta.
Após perder peso, Ana Carolina lembra que passou a se sentir mais confortável com sua imagem e com uma melhor qualidade de vida.
"Antes, eu ia a qualquer loja e era difícil encontrar uma roupa que ficasse legal. Algumas vezes, as roupas que ficavam melhores não eram muito próprias para a minha idade, não ficavam boas. Nada contra, mas sei que não é fácil você ser jovem, querer uma roupa que te faça se sentir bem e não ter o que usar. Além dessa parte, você nota que se sente mais disposta. É importante manter o foco. Eu ganhei mais 3 kg e estou pesando 56 kg, mas esse acréscimo faz parte da chamada massa magra. Queimei gordura e fortaleci os músculos. Até porque a questão não é ser magra, é ser saudável", explica.
Além do aspecto visual, a autoestima da estudante também melhorou com o emagrecimento. A jovem lembra que o comportamento de algumas pessoas em relação a ela mudou depois que o período de obesidade ficou para trás.
"Toda mulher se preocupa com a aparência, mas eu sempre fui 'maria-moleque'. Como eu disse, nunca sofri bullying, mas a discriminação acaba acontecendo. Por exemplo, as pessoas com quem eu tive contato na época do ensino médio não falavam comigo direito e me chamavam de "nerd". Mas hoje isso mudou. Algumas dessas pessoas vêm me cumprimentar e puxar conversa quando me encontram na balada ou em um bar. Infelizmente, é algo normal, não tenho problemas com isso. Mas é engraçado que as 'gostosonas' da época do colégio hoje estão obesas", diz.


Fonte: g1.globo.com


 ACUS-BRIN

Percas peso sem sofrer!

Brincos terapêuticos

Modelos exclusivos e banhados a ouro e/ou prata. (os brincos são enviados de acordo com a disponibilidade.

Garantia de uma técnica com mais de 5 mil anos e da Ponto Chinês do Brasil (15 anos no mercado) e ganhadora do Prêmio “IN QUALITY na àrea de saúde. Como: TERAPIA MEDICINAL DE QUALIDADE”.

· Sucesso na Europa, Estados Unidos e China, agora ao seu alcance.
Além de inibir o apetite, melhora a circulação sanguinea, previne contra aftas, bruxismo e regula a digestão.

· A ação dos brincos terapêuticos : nossa orelha possui inervações que estão interligadas ao cérebro. Quando os brincos, através dos magnetos pressionam o ponto que inibe o apetite, estes ajudam no equilíbrio do metabolismo estimulando a mudança de conduta alimentar, diminuindo a ansiedade, regulando a produção de neurotransmissores no cérebro.

· Emagreça sem agredir o organismo, pois você não ingere e não injeta nada, basta usar os brincos terapêuticos e você vai ver os resultados na balança. São surpreendentes.

· O BRINCO TERAPÊUTICO fixa-se na orelha com magnetos de terras raras e não precisa perfurar a orelha. Basta colocar na parte da frente o brinco que possui um magneto e na parte de traz (ver fotos), somente o magneto e pronto. Eles se atraem e não caem.
Você pode praticar todas as atividades normais de sua vida, usando o ACUS-BRIN.
IMPORTANTE: Usar no mínimo 3 horas por dia.

ACUS-BRIN é um brinco terapêutico eficaz, banhado a ouro ou prata. Você adquire uma única vez e toda a família pode usar.
OBSERVAÇÃO: Se os magnetos causarem alergia, passe esmalte de unha incolor e pronto.

EMAGREÇA DE 4 A 6 KILOS AO MÊS!

Acus-brin é um produto da Ponto Chinês do Brasil

Valor: R$ 289,00 em até 10 vezes de 28,90 em todos os cartões, através do PagSeguro
Frete incluído.
Acompanha material explicativo.

Visite também nosso site www.pontochines.com.br